Correção: STF aceita denúncia contra Dirceu e Delúbio

A nota enviada anteriormente contém um erro. A informação correta é que o STF aceitou denúncia de formação de quadrilha contra o ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, e o ex-tesoureiro Delúbio Soares, e não contra todos os acusados do chamado núcleo do mensalão. O Supremo Tribunal Federal ainda não julgou as denúncias contra o ex-presidente do PT José Genoino e o ex-secretário-geral do partido Silvio Pereira. Segue o texto corrigido: O Supremo Tribunal Federal (STF) aceitou por maioria a denuncia contra ex-integrantes da cúpula do PT, como o ex-ministro José Dirceu, e o ex-tesoureiro Delúbio Soares, por formação de quadrilha. O ministro relator Joaquim Barbosa, na sua exposição da denuncia contra eles, foi claro e mostrou que "houve formação de quadrilha". Ele apresentou a denuncia do Procurador Geral da República Antonio Fernando Souza, narrando como este grupo de denunciados agia como uma "quadrilha". Os recursos eram utilizados para ajudar aliados, para parlamentares e outros, com objetivo de tirar algum proveito próprio ou para o PT. "A associação foi formada no segundo semestre de 2002; e no início de 2003 deram inicio à sua operacionalização voltada para o crime", narrou o relator do STF. O vínculo subjetivo entre os acusados também está comprovado, disse.José Dirceu foi o principal gestor da engrenagem da quadrilha dos mensaleiros, segundo o procurador. Ele citou também o depoimento do publicitário Marcos Valério, que disse ter estado três vezes no Palácio do Planalto para falar com a secretaria Sandra Cabral, que atendia José Dirceu, e com o próprio. O relator confirma a denúncia de que Dirceu era o mentor do grupo, e votou pela acusação de formação de quadrilha. Os ministros Celso Peluso e Celso Mello, assim como o relator, explicaram que a peça de denúncia exige mais provas para que sejam comprovadas posteriormente as condenações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.