Correção: PF avalia que Casa Civil fez dossiê, diz jornal

A nota enviada anteriormente continha um erro de informação no primeiro parágrafo. O delegado Sérgio Menezes é da Polícia Federal. Segue o texto corrigido:Na avaliação do delegado da Polícia Federal Sérgio Menezes, responsável pela investigação sobre o vazamento de dados sigilosos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, levantados junto à Casa Civil, o "banco de dados" com os gastos do ex-governante é de fato um dossiê, informa reportagem publicada hoje no jornal Folha de S.Paulo. Conforme a PF, não há padrão técnico no documento montado e não foram respeitadas previsões legais relativas ao trâmite de documentos.Em 28 de março, a Casa Civil divulgou nota oficial na qual reafirmava que não organizou qualquer dossiê sobre o uso de cartões corporativos e de contas tipo B do governo de FHC. A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, vem negando o uso da terminologia "dossiê" e classifica o documento com gastos do ex-presidente como um banco de dados, que poderia ser solicitado pela Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Cartões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.