Correção: 'Não tem que diminuir ou aumentar', diz Lula

A matéria publicada às 18h39 tem uma incorreção no título e no primeiro parágrafo. Sobre a possibilidade de reforma ministerial e a redução do número de pastas, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que "não tem que diminuir ou aumentar", mas sim entender para que serve. Segue texto e título corrigidos:

DAIENE CARDOSO, Agência Estado

23 de julho de 2013 | 19h29

Apesar de dizer, no início da tarde, que não queria comentar a possibilidade de redução do número de ministérios do governo Dilma Rousseff, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, acabou falando do assunto durante palestra realizada nesta terça-feira em Brasília. "A gente não tem que diminuir ou aumentar. Tem que entender para que serve", disse.

Durante o discurso, Lula disse que estava ouvindo "um zum zum zum sobre reforma ministerial e algumas pessoas sugerindo a redução do número de ministérios. São 39, atualmente. "Fiquem espertos. Ninguém vai querer acabar com o Ministério da Fazenda, com o Ministério da Defesa", disse o ex-presidente, sugerindo que os principais alvos de um corte proposto pela oposição seriam as secretarias de Políticas de Promoção da Igualdade Racial e de Políticas para as Mulheres.

O ex-presidente participou nesta terça do "Festival Latinidades - Festival da Mulher Afro Latino Americana e Caribenha". Ele tinha participação em uma conferência especial sobre desigualdades de gênero e raça, "políticas públicas e ações afirmativas no governo Lula e sua atuação pós-mandato".

Tudo o que sabemos sobre:
Lulareforma ministerial

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.