Correção: Lula considera caso Varig encerrado

Reportagem enviada na sexta-feira continha um erro no nome do advogado que é amigo e compadre do presidente Luiz Inácio Lula da Silva: o nome correto é Roberto Teixeira. O texto segue novamente: O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse na sexta-feira passada que as denúncias de tráfico de influência no processo de venda da Varig são "um absurdo" e uma "mentira". "Para mim, (o caso da venda da empresa) está encerrado, e graças a Deus teve alguém que comprasse para que a Varig não falisse", disse Lula, ao responder uma pergunta sobre a suposta pressão do advogado Roberto Teixeira - amigo e compadre do presidente - nas negociações, em entrevista coletiva em Caracas, na Venezuela."O caso da Varig, para mim, já está respondido. Começou na Justiça e terminou na Justiça", afirmou o presidente na sexta-feira. Lula disse que quem "inventou" a "mentira" - referindo-se às denúncias - deve procurar uma solução. "Não é um problema meu. É um problema de quem criou a mentira." Depois da resposta do presidente, a platéia, formada por uma claque do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, e de funcionários da estatal petrolífera venezuelana PDVSA, aplaudiu Lula efusivamente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.