Correção: Dilma tacha espionagem de inadmissível em BH

A nota enviada anteriormente contém uma incorreção no título. Segue o texto com título corrigido.

RENAN CARREIRA, Agência Estado

24 de outubro de 2013 | 10h13

A presidente Dilma Rousseff voltou a dizer nesta quinta-feira, 24, que é "inadmissível" a prática da espionagem contra governos, empresas e cidadãos. Dilma deu a declaração em entrevista à Rádio Itatiaia, de Belo Horizonte (MG), ao ser questionada sobre a espionagem feita pelos Estados Unidos a órgãos do governo e a empresas brasileiras.

Ela ressaltou, porém, que o presidente Barack Obama tem se comprometido a avaliar e tomar as medidas cabíveis contra essa prática. Dilma afirmou que defende que haja um marco civil multilateral e internacional para coibir esse tipo de crime. "Isso daria proteção aos dados que circulam pela internet para proteger cidadãos e empresas." A presidente disse que a internet é essencial para a democracia. "Defendemos uma rede aberta e neutra."

Tudo o que sabemos sobre:
DilmaBH

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.