Correção: Chalita não omitiu editora em declaração

A nota "Chalita é acusado de omissão em declaração de bens", distribuída pela Agência Estado no dia 12 de setembro, estava errada. A empresa lá mencionada, que pertenceu ao candidato a vereador pelo PSDB, o ex-secretário de Educação Gabriel Chalita, teve seu ato constitutivo registrado na Junta Comercial de São Paulo, muito embora não haja, posteriormente, operado. Sem movimentação financeira ou patrimônio, nunca integrando o CNPJ - Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica do Ministério da Fazenda, tampouco abriu ou movimentou contas bancárias, no País ou no exterior.O capital da sociedade, não integralizado ou alterado, com valor original de CR$ 10.000.000,00 (dez milhões de cruzeiros reais), moeda da época, convertido para real, significou quantia inferior a R$ 3.700,00, nunca os R$ 10 milhões mencionados. Quando dissolvida, justamente porque era e sempre foi irrisório o valor atribuído ao capital social, os quotistas declararam que nada teriam a receber ou dividir.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.