Correção: Alckmin apoiaria Serra na liderança do PSDB

A nota enviada anteriormente contém uma incorreção. O presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra, é de Pernambuco, e não do Ceará. Segue o texto corrigido.

GUSTAVO URIBE, Agência Estado

27 de janeiro de 2011 | 11h49

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), disse hoje que apoiará integralmente o ex-governador José Serra (PSDB), caso ele seja candidato a presidente nacional do partido, em maio, quando termina o mandato do atual presidente, senador e deputado eleito Sérgio Guerra (PE). Após evento na Secretaria da Educação do Estado, na capital paulista, Alckmin disse que recebeu ontem telefonema de Guerra e manifestou o apoio a Serra.

"Nem sei se o Serra quer ser o presidente do partido, mas, se ele quiser, terá o meu integral apoio", afirmou o governador de São Paulo, de acordo com o qual o atual presidente nacional do PSDB teria declarado na ligação o intento de ser candidato à reeleição. "Ele (Guerra) ligou para conversar sobre o programa nacional de TV do PSDB e, depois, comentou que, talvez, haveria uma indicação para que ele continuasse como presidente do partido."

Alckmin afirmou que respondeu a Guerra que ele é um "ótimo quadro" e uma "ótima liderança". "Mas eu disse a ele que achava que esse assunto só deveria ser discutido em maio", declarou. Apesar de ter manifestado a adesão a Serra, o governador avaliou a questão como "extemporânea" e que deve ser debatida a fundo apenas em maio. "Nós entendemos que esta é uma questão extemporânea. Nós nem ainda elegemos os diretórios municipais, o que só acontecerá em março."

Ontem, a bancada da legenda na Câmara dos Deputados aprovou uma moção subscrita por 54 parlamentares e suplentes pela recondução do senador do PSDB de Pernambuco à presidência nacional da sigla. Serra pleiteia nos bastidores o cargo, como uma forma de manter a visibilidade política. O próximo líder da agremiação na Câmara será o deputado eleito Duarte Nogueira (SP), aliado de Alckmin.

As declarações do governador foram feitas após cerimônia de assinatura de aditamento de convênios firmados em 2010 com 301 instituições assistenciais responsáveis por educar crianças e adolescentes com deficiências graves. A iniciativa destina às entidades investimentos da ordem de R$ 92,3 milhões, que beneficiarão cerca de 33 mil alunos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.