Corrêa provoca Dirceu ao defender MP e imprensa

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Maurício Corrêa, voltou a criticar a reforma do Judiciário que o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva pretende implantar. Durante inauguração do Fórum Trabalhista de São Paulo, Corrêa questionou: "Nós (Judiciário) precisamos de alguém para fiscalizar os nossos atos, será que somos tão irresponsáveis assim?" Depois de questionar a eficiência do controle externo do Judiciário, sob aplauso do público que lotou o auditório do Fórum, o presidente do STF fez um contraponto com as críticas que o ministro da Casa Civil, José Dirceu, fez ao Ministério Público (MP) e à imprensa. "É necessário não colocar mordaça na boca do Ministério Público e nem na imprensa, como está se falando,", afirmou, sem citar o nome do ministro. Ele alega que é necessário deixar o MP investigar a fundo, disse, sem citar o nome do ministro. Ao criticar a proposta de controle externo do Judiciário, Corrêa disse também que o interesse dessa proposta é abrir a caixa preta do Judiciário. "Uma caixa preta que nunca existiu", reiterou, sob mais aplausos. De acordo com o presidente do Supremo, "a caixa preta pode ter existido apenas na cabeça de alguém que não conhece o poder Judiciário."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.