Corpo de Vieira de Mello é levado para o Galeão

O corpo do diplomata Sérgio Vieira de Mello, que foi velado desde a manhã de ontem no Palácio da Cidade, está sendo levado para a base aérea do Galeão, de onde seguirá para a Europa. A ex-mulher do diplomata, Anie Vieira de Mello, confirmou que o alto comissário da ONU será enterrado em Genebra, provavelmente na 5ª feira. Ela negou porém que o sepultamento vá ocorrer no panteão da ONU. Anie informou que o funeral será no Cemitére des Roix, local onde estão enterradas autoridades. "Queria que todos compreendessem que não vamos roubar Sérgio. Ele, antes de tudo, era um cidadão do mundo. Seu coração é brasileiro, claro, mas ele fez a escolha de ter uma família perto de Genebra", disse ela. Segundo Anie, a viagem ao Brasil foi penosa para ela e os filhos. "Mas achamos que seria justo que Sérgio pudesse vir a esta terra para se despedir do povo brasileiro", afirmou. Ela agradeceu ao povo brasileiro pelo "testemunho de solidariedade" à família. Ao fim da entrevista, Anie disse: "Espero que tenham compaixão e não especulem sobre isso: eu sou mulher dele, e não ex-mulher." A mãe de Vieira de Mello driblou a família e saiu de casa com amigas para o velório. Chegou ao Palácio da Cidade por volta das 11h. Os parentes haviam lhe dito que o corpo partira ontem mesmo, para poupá-la, mas dona Gilda não acreditou. No velório, ela estava abalada e foi amparada por uma amiga e pelo neto André. Ela se debruçou sobre o caixão, chorando muito, e depois ficou abraçada por muito tempo a Francisca Domingos, de 89 anos, que foi babá de Vieira de Mello. Os filhos do diplomata, Laurent e Adrian, e Anie chegaram às 12h15 ao velório. Segundo cálculos da Prefeitura, mil pessoas, ente parentes e amigos, compareceram ao velório ontem e hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.