Corpo de Quércia é velado e SP decreta luto de 7 dias

O velório do corpo do ex-governador e presidente estadual do PMDB, Orestes Quércia, começou por volta das 14 horas de hoje no salão nobre do Palácio dos Bandeirantes, sede do governo de São Paulo. O governador Alberto Goldman (PSDB), o governador eleito por São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) e o presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, Barros Munhoz (PSDB) já estão no local, assim como a esposa de Quércia, Alayde, seus filhos e outros familiares.

FAUSTO MACEDO, Agência Estado

24 Dezembro 2010 | 15h17

Alckmin disse que o peemedebista foi um líder municipalista, sempre defendeu o governo local e a descentralização. "Inclusive nos apoiou na ultima eleição, o que nos permitiu, no início da campanha, viajarmos juntos pelo Estado e conversar bastante". E continuou: "Eu deixo aqui a nossa homenagem, o nosso carinho, o nosso sentimento e as nossas orações."

Em razão da morte de Orestes Quércia, de 72 anos, ocorrida na manhã de hoje no Hospital Sírio-Libanês, o governo do Estado de São Paulo decretou luto oficial. Alberto Goldman assinou nesta sexta-feira o decreto de luto de sete dias, que será publicado amanhã (dia 25) no Diário Oficial.

Sobre o falecimento, o governador tucano declarou: "Foi com muito pesar que recebi a notícia do falecimento do ex-governador Orestes Quércia. Quero transmitir minhas condolências à sua família. Orestes Quércia teve um papel fundamental na construção do MDB, na luta contra a ditadura e na reconquista da democracia. Foi um senador que honrou nosso Estado e um governador que deu um grande impulso ao desenvolvimento de São Paulo."

Mais conteúdo sobre:
morte Quércia velório luto Goldman

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.