"Coronelismo urbano" de ACM já dura 30 anos

As derrotas do senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA), que corre o risco de ter o mandato cassado, podem levar à decadência o esquema político mais resistente nas últimas três décadas do País. Mas não é à toa que o carlismo, nascido no regime militar, conseguiu passar incólume pela redemocratização e se fortalecer ainda mais nestes tempos de globalização. Sua longa sobrevivência está sustentada sobre três pilares básicos, construídos desde o fim dos anos 60, quando o então prefeito de Salvador, Antonio Carlos Magalhães, começou a projetar seu futuro político. Foi aliado à especulação imobiliária, ao grande capital das empreiteiras e ao comando estratégico das comunicações que ACM construiu uma teia complexa, eficiente e duradoura de poder. Leia mais no site do Estado

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.