Coronel da PM condenado pelo caso Carajás é preso

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu hoje que o coronel Mário Pantoja, condenado a 228 anos de prisão em regime fechado pela morte de 19 sem- terra em Eldorado dos Carajás, terá de aguardar na cadeia o julgamento do recurso para anular a sentença contra ele mantida pelo Tribunal de Justiça do Pará. O pedido de habeas-corpus foi indeferido e Pantoja, que estava há 12 dias recolhido ao Hospital da Polícia Militar, recebeu alta médica e foi imediatamente recolhido a uma prisão especial num quartel da própria PM, no centro de Belém. Pantoja, que tem 60 anos, foi internado com crise hipertensiva logo após saber da manutenção da sentença, no mês passado. O outro condenado, o major José Maria Oliveira também já está preso. Ele cumpre a pena no Comando de Missões Especiais, da PM. Os dois oficiais estão em quartéis separados, mas ocupam quartos onde não há celas. Eles podem transitar por corredores e receber visitas de parentes e amigos em dias determinados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.