DIDA SAMPAIO/ESTADÃO
DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Coronavírus: Trump e Pence não farão exames após contato com Wajngarten, diz Casa Branca

'Tanto o presidente como o vice-presidente quase não tiveram interações com o indivíduo', informou a Casa Branca

Beatriz Bulla, O Estado de S.Paulo

12 de março de 2020 | 15h46

WASHINGTON - A Casa Branca informou nesta quinta-feira, 12, que o presidente Donald Trump e o vice-presidente Mike Pence não serão testados para identificar se são portadores de coronavírus neste momento. Os dois tiveram contato com o secretário de Comunicação do Brasil, Fábio Wajngarten, que esteve em Mar-a-Lago no sábado durante jantar entre Trump e Bolsonaro.

"Exposições ao caso estão sendo avaliadas, o que ditará as próximas etapas. Tanto o presidente como o vice-presidente quase não tiveram interações com o indivíduo que apresentou resultado positivo e não precisarão ser testados neste momento", informou a Casa Branca.

Wajngarten não sentou à mesa do jantar dos dois presidentes, mas estava no local e em alguns momentos esteve bastante próximo a Trump e a Pence. Em uma foto, o secretário posa exatamente ao lado do presidente americano com bonés confeccionados pela delegação brasileira com o escrito "Make Brazil Great Again", uma adaptação do slogan de campanha de Trump.

"Para reiterar as diretrizes do CDC, atualmente não há indicação para testar pacientes sem sintomas, e somente pessoas com exposição prolongada a casos positivos confirmados devem se auto-colocar em quarentena. Estamos monitorando a situação", informou a Casa Branca.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

“Make Brazil Great Again” @realdonaldtrump @mikepence @alvarogarnero

Uma publicação compartilhada por Fabio Wajngarten (@fabiowajngarten) em

Outras autoridades americanas estiveram presentes no jantar, além da filha de Trump, Ivanka Trump, e o genro do presidente, Jared Kushner. A Casa Branca disse estar tomando todas as precauções para manter a saúde das famílias de Trump e Pence.

Mais cedo, Trump chegou a dizer que não está preocupado. "Jantamos juntos em Mar-a-Lago, na Flórida, com a delegação inteira. Não sei se o assessor de imprensa estava lá. Se estava, estava. Mas não fizemos nada fora do usual. Sentamos perto por algum tempo, tivemos uma ótima conversa. Bolsonaro está fazendo um excelente trabalho no Brasil e vamos descobrir o que vai acontecer. Acredito que estejam sendo testados agora", disse o presidente dos EUA. "Deixa eu colocar desta forma: eu não estou preocupado", concluiu.

A agenda do chanceler Ernesto Araújo em Washington foi cancelada depois que Wajngarten, foi testado positivo para o coronavírus. Araújo teria ao menos três reuniões nesta tarde com autoridades americanas no Tesouro, no Conselho Nacional de Economia e na Casa Branca.

Ainda na Flórida, a comitiva presidencial brasileira se encontrou com os senadores Rick Scott e Marco Rubio, e com o prefeito de Miami, Francis Suarez.

O senador Rick Scott, dos Estados Unidos, anunciou que irá permanecer em "auto-quarentena" depois de ter se encontrado com a delegação brasileira em Miami, onde estava o presidente Jair Bolsonaro. O Secretário de Comunicação, Fabio Wajngarten, que acompanhava o presidente na viagem, foi testado positivo para coronavírus.

Scott disse que não está apresentando sintomas, mas decidiu ficar em isolamento para não correr o risco de transmitir o vírus para outras pessoas. "Na segunda-feira, eu me encontrei com o presidente (Bolsonaro) em Miami e apesar de achar que não interagi com a pessoa com o vírus, o indivíduo estava no mesmo ambiente que eu. A Embaixada do Brasil disse que a pessoa não tinha sintomas no dia da Conferência", afirmou o senador, em nota.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.