Coréia quer produzir órgãos de porco para transplantes

A Coréia do Sul anunciou, hoje, que gastará US$ 51,9 milhões para produzir órgãos de porco em massa para transplantes humanos, como parte do estímulo do governo para o país sobressair-se em biotecnologia.O Ministério da Agricultura e Florestas sul-coreano e outras agências governamentais criaram uma força-tarefa de 90 cientistas dedicados à produção geneticamente alterada de órgãos de porcos, aceitáveis para transplantes.Porcos são, potencialmente, salvadores de vida por serem fisiologicamente similares ao ser humano e mais abundantes que primatas não humanos, como os babuínos. Superar a resposta imunológica do corpo humano depois que este percebeu um órgão estranho é um dos maiores obstáculos para os transplantes de animais para humanos.O grupo de cientistas da Coréia do Sul diz que terá seus primeiros porcos clonados, com mais ou menos o mesmo tamanho dos humanos, por volta de 2005. Em 2007, espera-se desenvolver um porco com um coração e outros órgãos geneticamente modificados, que o corpo humano não rejeitará.Pelos planos, em 2010, os cientistas planejam ter uma ninhada de porcos em miniatura prontos para o uso em cirurgias de transplantes, segundo a nota do ministério.O governo está patrocinando a biotecnologia como uma chave para a próxima geração industrial do país. Em fevereiro, pesquisadores sul-coreanos anunciaram que haviam sidos os primeiros no mundo a clonar, com sucesso, um embrião humano e coletaram dele células-tronco, num processo que levará, futuramente, os pacientes a fazer crescer seus próprios tecidos de substituição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.