Coordenador do MST diz que governo só faz reforma no grito

O coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), Gilmar Mauro, respondeu nesta terça-feira à afirmação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de que reforma agrária não se faz no grito, dizendo que também não está sendo feita de outra forma. "Até hoje só fizeram reforma agrária no grito e no discurso, não como devia ser, com a desapropriação de terras e o assentamento de trabalhadores."Mauro avaliou como "ruim" o governo Lula, até agora, na parte social e disse que as promessas feitas aos movimentos sociais não foram cumpridas. Ele acha que o governo está "engessado" em tomar medidas que resolvam a situação da miséria no País. "Não queremos dizer que o governo Lula não presta, mas quem tem de destravar o aparelho do Estado é o presidente da República." O líder avalia que nem o presidente está contente com seu governo. "Tanto os dados macroeconômicos quanto os sociais são perversos e depõem contra toda a plataforma e o programa do PT. O problema não vai ser resolvido com cesta básica e vale-gás, mas com terra e trabalho".Mauro participou, nesta terça-feira, com outras lideranças do MST, de um protesto, em Presidente Prudente, no extremo norte do Estado contra a lei do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), que regulariza as áreas com até 500 hectares no Pontal do Paranapanema. Cerca de 1.700 militantes entraram na cidade e caminharam até a praça central para um ato público.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.