Convocação do Congresso no recesso é difícil, diz Garibaldi

É difícil se chegar a entendimento, tanto que, até agora, não houve consenso em torno da proposta

Rosa Costa, de O Estado de S.Paulo

01 de dezembro de 2008 | 18h26

O presidente do Senado, Garibaldi Alves, afirmou nesta segunda-feira, 1, que uma eventual convocação do Congresso para trabalhos extraordinários no recesso parlamentar, a partir de 22 de dezembro, só seria justificada se houvesse garantia de um entendimento para a votação da proposta de emenda constitucional (PEC) reforma tributária. Segundo Garibaldi, é difícil se chegar a esse entendimento, tanto que, até agora, não houve consenso em torno da proposta. "Sem essa garantia, não adianta suspender o recesso e criar uma expectativa que não será atendida. O processo de entendimento neste caso não é dos mais fáceis", declarou o senador.

Mais conteúdo sobre:
Garibaldi AlvesCongresso

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.