Convite para Temer ser vice fortalece união PT-PMDB, diz Sarney

Senador disse que deputado trabalha há anos para 'se impor e ser indicado para essa posição'

Agência Brasil

05 Maio 2010 | 11h09

BRASÍLIA - A formalização do convite para que o presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), componha chapa como vice da pré-candidata petista Dilma Rousseff na disputa pela Presidência da República consolida a união entre os dois partidos, afirmou o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), um dos articuladores do nome de Temer para formação da chapa.

 

Veja também:

https://www.estadao.com.br/estadao/novo/img/icones/mais_azul.gif Dilma convida Temer para a vaga de vice

 

O senador acrescentou que Michel Temer tem "uma liderança muito grande no partido" e, ao longo dos anos, trabalha para "se impor e ser indicado para essa posição". Sarney disse que ainda não sabe os detalhes da conversa desta terça-feira, 4, entre o presidente da Câmara e a pré-candidata, Dilma Rousseff. O PMDB ainda vai decidir se aceita a composição.

 

Dilma ofereceu um jantar a Michel Temer, ocasião em que o PT formalizou o convite para a formação da chapa com o peemedebista. Desde o início das articulações, o nome de Michel Temer foi apresentado ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

 

Perguntado se isso ajudaria a resolver problemas em alguns estados que envolvem a composição entre os dois partidos, José Sarney desconversou. "O PMDB, como um grande partido, sempre teve problemas internos. Isso não é nenhuma novidade, mas nós soubemos sempre gerir esses problemas e sempre conseguimos atravessá-los e chegarmos unidos à eleição."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.