Dida Sampaio|Estadão
Dida Sampaio|Estadão

Convite para Lula assumir ministério cabe à presidente Dilma, diz Edinho

Ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social afirmou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva seria um ministro 'bem aceito e teria papel fundamental em qualquer governo'

Carla Araújo e Tânia Monteiro, O Estado de S.Paulo

10 de março de 2016 | 17h27

Brasília – O ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva, afirmou na tarde desta quinta-feira, 10, que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva seria um ministro “bem aceito e teria papel fundamental em qualquer governo”, mas ressalvou que cabe apenas à presidente Dilma Rousseff convidar ou admitir membros do seu governo. “Evidentemente que se está falando de um ex-presidente que teve a maior aprovação da história do país, é uma das lideranças mais respeitadas do mundo. É evidente que alguém com esse estofo faria bem a qualquer governo”, destacou.

Questionado se Lula conseguiria reduzir a crise política, Edinho disse que há na equipe “lideranças capazes” e comentou que o governo possui ministros que têm feito “um trabalho brilhante” na condução da articulação política. Edinho disse que Dilma e Lula “tiveram um espaço de diálogo”, mas só os dois podem retratar as conversas. “Eu não sei se foi formalizado um convite ou não”, afirmou. O ministro disse que Dilma tem muito respeito pelo seu antecessor e reconhece “a capacidade e liderança” de Lula.

PMDB. O ministro evitou comentar sobre a preocupação do governo com a aprovação de uma possível moção durante o Convenção Nacional do PMDB, marcada para o próximo sábado, que aprove o desembarque do partido da base do governo. “O governo tem que tomar tantas decisões no dia de hoje, como tomará amanhã, portanto, o governo se posicionar sobre algo que pode acontecer no sábado neste momento não seria correto”, afirmou.

Edinho, entretanto, disse que o governo tem respeito pela convenção do partido. “O PMDB tem autonomia para tomar suas decisões, vamos aguardar antes de elaborar qualquer manifestação”, disse.

Questionado se a presidente procuraria o vice-presidente Michel Temer para conversar sobre o assunto, Edinho disse que os dois se falam “frequentemente”. “Eles se falam frequentemente, devem ter falado essa semana com certeza, mas eu não sei o tema que eles trataram”, disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.