Conversa entre Lula e Meirelles deve ser durante viagem ao Rio

Presidente do BC afirmou que possibilidade de candidatura política existe, mas não pretende disputar cargos

Tânia Monteiro, Leonencio Nossa e Lucinda Pinto, da Agência Estado,

29 de setembro de 2009 | 10h22

O encontro entre o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, para comunicar formalmente a sua filiação ao PMDB deve ser durante a viagem ao Rio de Janeiro, na tarde desta terça-feira. O encontro estava previsto, inicialmente, para as 12h30 de hoje e uma agenda chegou até a ser divulgada pela Presidência da República.

 

Mas por um problema de comunicação entre os gabinetes dos dois presidentes, o encontro acabou sendo retirado da pauta. Meirelles cumpre compromissos em São Paulo, agora pela manhã e início da tarde, e Lula está em Brasília, também envolvido com reuniões, audiências e despachos.

 

O certo, segundo assessores da Presidência, é que Lula pretende conversar ainda hoje com Meirelles e que isso pode acontecer às 17 horas, no voo para o Rio de Janeiro. Lula participará de jantar do Comitê Executivo da Fifa, no Rio e Meirelles deverá vir a Brasília para acompanhar o presidente, no final da tarde.

 

Entretanto, Meirelles afirmou na manhã desta terça-feira que a possibilidade de sua candidatura política existe, mas que não tem hoje a decisão de se candidatar a nenhum cargo. Ele fez essa afirmação ao responder a uma pergunta de uma pessoa na plateia do seminário promovido pelo grupo de líderes empresariais (Lide) em São Paulo sobre se seria candidato a vice-presidente da República ou a governador de Goiás.

 

Meirelles disse que a decisão de candidatura será tomada até o final do mês de março de 2010. "Não tenho decisão de ser candidato a nenhum cargo hoje, nem vou tomar essa decisão nos próximos meses", afirmou. Sobre a possibilidade de anunciar sua filiação a algum partido político, Meirelles disse que essa seria uma decisão que visaria preservar seu direito político.

 

O prazo limite estabelecido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para que candidatos tenham a filiação deferida pelos partidos, com vistas às eleições do ano que vem, vai até o próximo dia 3 de outubro.

Segundo Meirelles, a eventual decisão de se filiar a um partido político não significaria necessariamente o compromisso com uma candidatura às eleições de 2010. Ele apenas afirmou que, por sua característica pessoal, gosta de manter "oportunidades em aberto" para o futuro.

 

Meirelles voltou a dizer que, neste momento,esta 100% focado no trabalho do Banco Central.

O presidente do BC comparecerá às 12 horas a almoço oferecido pela Câmara de Comércio Brasil-Israel, no qual não poderá haver participação da imprensa.

Tudo o que sabemos sobre:
LulaMeirelleseleiçõesGoiás

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.