Convenção servirá para 'repaginar' PSDB, diz Anastasia

Governador mineiro defende nacionalização do partido e fortalecimento de padrinho político Aécio ante a ala paulista dos tucanos

Eduardo Kattah, de O Estado de S. Paulo

27 de maio de 2011 | 18h10

O governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia, disse nesta sexta, 27, que a convenção nacional do PSDB, que será realizada neste sábado, em Brasília, deve servir para "repaginar" a legenda. Em meio a uma disputa por espaços com os paulistas, o discurso dos tucanos mineiros é de defesa da nacionalização do partido, que embute a "despaulistização" e o fortalecimento do nome do senador Aécio Neves para a sucessão presidencial, em 2014.

Até as vésperas da convenção, os aliados de Aécio demonstravam resistência à hipótese de ex-governador paulista José Serra ser abrigado no Instituto Teotônio Vilela (ITV). O grupo aecista defende para o comando do ITV o nome do ex-senador Tasso Jereissati (CE).

"A eleição (presidencial) acabou no ano passado, o nosso candidato (Serra) perdeu a eleição, ainda que tenha tido uma votação muito expressiva, com mais de 40 milhões de votos, e o partido vai cada vez mais se repaginando. Todo partido político é uma instituição viva. Ele não pode ficar estanque, parado, como se fosse uma atividade fossilizada", afirmou Anastasia.

Os tucanos de Minas trabalharam pela recondução do presidente Sérgio Guerra (PE), considerado um aliado de Aécio, e também não demonstraram disposição de ceder sobre a secretaria-geral do partido, ocupada pelo deputado federal Rodrigo de Castro (MG).

O governador mineiro disse que confia que a convenção "será disputada em clima de otimismo e confiança" e com a "apresentação de propostas novas para o Brasil". "Porque 2012 está aí e 2014 também", observou.

Mais conteúdo sobre:
convençãoPSDBAnastasiaAécio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.