Convenção Nacional do Ócio reúne preguiçosos na Itália

De acordo com um dos organizadores, o ator e escritor Gianni Fantoni, a preguiça não é um defeito, mas um sinal de inteligência, já que os preguiçosos conseguem fazer o mesmo que os outros com menos esforço. "E é também um elixir da longa vida em um mundo de muita tensão." Entre outros eventos, a convenção deve aprovar os "Dez Mandamentos da Preguiça", que devem incluir "Não te oferecerás para nada", "Deixarás o outro dar o primeiro passo" e "Lembrarás que o exercício é para outras pessoas". Os italianos devem se encontrar no vilarejo de Champoluc, escolhido a dedo por ter um bondinho que leva os indolentes ao local montanhoso sem grande esforço. O evento deve apresentar uma exposição histórica da preguiça, desde os tempos mais antigos. Devem estar expostos objetos criados com o objetivo de reduzir o trabalho ao mínimo, como o terno já que vem com meias e sapatos incorporados, a lata de lixo com escorregador para os detritos, moldes para fazer bolas de neve sem congelar os dedos e vários exemplares do símbolo máximo do movimento, a rede. Os organizadores prometeram aos participantes que os seminários vão durar menos de meia hora, que uma longa siesta será obrigatória e que eles receberão dicas de como aperfeiçoar a sua indolência. O único temor dos organizadores é que os ociosos prefiram ficar em casa e a convenção fracasse por falta de quórum.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.