Convenção derrubará candidatura do PMDB, avalia Renan

O Presidente da República em exercício, Renan Calheiros, avaliou nesta sexta-feira, em entrevista no Palácio do Planalto, que a convenção que o PMDB realizará em Brasília derrubará a proposta de candidatura própria às eleições presidenciais. "Arrisco (um palpite). Majoritariamente vai ganhar a corrente que prefere as alianças estaduais para fortalecer o partido". Na entrevista, Renan relatou que disse nesta sexta-feira ao ex-presidente Itamar Franco, no encontro no gabinete da Presidência, no Planalto, que o problema não é em relação a nomes, mas a verticalização, norma que obriga a repetição das alianças nacionais nos Estados. "Eu disse a Itamar que a dificuldade não é em relação a nomes, nem ao dele nem ao de Garotinho", afirmou. "Itamar é uma referência e uma figura importante para o PMDB", destacou.A um pergunta se teria tentado convencer o ex-presidente Itamar a desistir da pré-candidatura, Renan respondeu que esta não era a sua proposta. "Ele (Itamar) tem muita convicção da necessidade de candidatura própria", ressaltou. Ele evitou comentar sobre um possível apoio do PMDB a candidatura à reeleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva no primeiro ou segundo turno da disputa presidencial. "O PMDB nunca postulou aliança nacional pois a dificuldade seria a mesma", disse ele, em referência aos acordos estaduais. Renan riu quando questionado se, no encontro, Itamar Franco sentou propositalmente no sofá usado pelo presidente Lula. "Ele estava muito a vontade, mas quem sentou mesmo na cadeira do presidente e tirou foto foi o governador Roberto Requião, do Paraná, que fez uma brincadeira", contou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.