Controle sobre tabaco tem novo texto em Genebra

À cinco dias do prazo final para se concluir um tratadointernacional para o controle do tabaco, uma nova proposta de acordo é apresentada em Genebra. Segundo o novo texto, distribuído nesta segunda-feira, os países se comprometeriam a adotar políticas mais duras contra apropaganda de cigarro, contrabando e venda de cigarro para menores. A proposta foi fruto de uma semana de intensas negociações entre mais de cem países e substitui o texto do presidente da conferência, o embaixador brasileiro Luiz Felipe Seixas Correa. Segundo organizações não-governamentais (ongs), o novo texto é mais forte que o do brasileiro, apesar de ainda não ser ideal para combater o fumo, que mata todos os anos 4,9 milhões de pessoas em todo o mundo.Um dos pontos destacados pelas ongs é de que o novo texto prioriza a saúde sobre os temas comerciais, tema que não aparecia com o mesmo destaque no texto preparado pelo embaixador brasileiro. Outro ponto positivo foi que existiriam regras mais rígidas sobre a propaganda de cigarros. Mesmo assim, o novo texto não proibe completamente os comerciais, como queriam alguns países. ProdutoresEnquanto os governos se reúnem para debater o controledo cigarro, os produtores de fumo iniciaram uma conferência paralela, também em Genebra, para discutir os efeitos que esse novo tratado teria sobre o setor. Uma das preocupações dos agricultores, entre eles os brasileiros, é de que o número de desempregados no setordo fumo possa explodir com o controle do cigarro no mundo. Mas a Organização Internacional do Trabalho (OIT) alerta que a mecanização da produção do fumo é uma ameaça maior ao setor que o próprio acordo que deverá ser concluído até o final desta semana.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.