Controle sobre a Sars em vôos internacionais é ampliado

Passageiros procedentes de vôos internacionais que não apresentarem no momento do desembarque a Declaração de Saúde do Viajante, formulário com dados essenciais para casos suspeitos de Sars, não poderão ingressar no País. A medida integra uma resolução da Agência Nacional de Vigilância Sanitária divulgada hoje para melhorar a obtenção de informações sobre viajantes.A nova norma também determina que as empresas de transporte ficam obrigadas a distribuir a ficha. Caso a medida seja desrespeitada, a empresa poderá receber uma multa entre R$ 2 mil a R$ 1,5 milhão. As medidas foram adotadas depois de a Anvisa detectar resistência de passageiros em preencher o formulário, que até o momento vinha sendo entregue depois do desembarque.Na Declaração de Saúde do Viajante, com texto em inglês, espanhol e português, o passageiro deve informar o endereço e telefone de onde ficará durante o período de 14 dias, quais países esteve nos últimos dias e se teve contato com pessoas suspeitas de estarem com a doença.Um novo informe sonoro também passa a ser veiculado pelas empresas aéreas, convocando passageiros a colaborar com a autoridade sanitária preenchendo adequadamente a declaração.Veja o índice de notícias sobre a pneumonia atípica

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.