'Controle é democrático e veta abusos nas eleições', diz analista

Marco Antonio Teixeira comenta crítica de Lula, durante evento do PAC, sobre a legislação eleitoral

Andréia Sadi, do estadao.com.br

06 de junho de 2008 | 17h58

A legislação eleitoral é necessária para garantir que a competição eleitoral se dê de maneira igual e evita abusos por parte dos governantes. A análise é do cientista político e professor da Fundação Getúlio Vargas Marco Antonio Teixeira, que, em entrevista ao estadao.com.br, comentou a crítica do presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre o veto à liberação de recursos para municípios já a partir deste segundo semestre, durante evento do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).  Veja também:Ouça a entrevista   Especial: balanço do PAC Especial: acompanhe o calendário eleitoral 2008 " A legislação é democrática para controlar gastos em ano eleitoral. Se não houver, o governante tende a abusar ou para ele se reeleger ou para favorecer os seus aliados. É democrático ter controle para não permitir abusos. Lula jamais poderia  imaginar um cenário desses (eleições) sem alguma regra para disciplinar, senão vira festa", disse.  Durante assinatura de contrato do PAC, Lula disse que impedimento é "falso moralismo". "Este ato está sendo feito hoje por uma única razão. É que no começo de julho nós não poderemos mais assinar contrato. Porque a eleição neste País, ao invés de ser uma coisa importante para consagrar a democracia, ela faz que governa, fica um ano sem governar, em quatro anos de mandato. Porque você tem o dinheiro, a necessidade e pelo falso moralismo, se parte do pressuposto de que assinar um contrato com o prefeito é beneficiar esse prefeito. Ou seja, é o lado podre da hipocrisia brasileira, em que você pára um determinado tempo , porque causa suspeição".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.