Controladoria abre processo contra mais seis empresas citadas na Lava Jato

Ao todo, 24 companhias terão a conduta avaliada pela CGU e podem ser proibidas de celebrar contratos com órgãos públicos

LUCI RIBEIRO, O Estado de S. Paulo

18 de março de 2015 | 10h53

Brasília - A Controladoria-Geral da União (CGU) informou nesta quarta-feira, 18, que determinou a abertura de mais seis processos administrativos de responsabilização contra empresas envolvidas na Operação Lava Jato. Com isso, já chega a 24 o número de empresas processadas pelo órgão no âmbito dessas investigações desde dezembro do ano passado.

As seis empresas são: Tome Engenharia, Egesa Engenharia, Carioca Christian Nielsen, Skanska Brasil, Eit Empresa Industrial Técnica, MPE Montagens e Projetos Especiais. Se responsabilizadas ao final do processo, as companhias poderão ficar impedidas de celebrar novos contratos com órgãos públicos e receber multas, entre outras penalidades.

De acordo com os investigadores da Lava Jato, essas empresas são suspeitas de envolvimento em um cartel que combinava previamente os preços e resultados das licitações de obras da Petrobrás. O acordo previa o pagamento de propinas a executivos da estatal e agentes políticos ligados a diretorias da petroleira.

Segundo a CGU, as outras 18 empresas envolvidas na Operação Lava Jato alvos de processos do órgão são: Camargo Corrêa, Engevix, Galvão Engenharia, Iesa, Mendes Junior, OAS, Queiroz Galvão, UTC-Constran, Alumni Engenharia, GDK, Promon Engenharia, Andrade Gutierrez, Fidens Engenharia, Sanko Sider, Odebrecht, Odebrecht Óleo e Gás, Odebrecht Ambiental e SOG Óleo e Gás.

Tudo o que sabemos sobre:
Operação Lava JatoCGU

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.