Contratos internacionais são o novo alvo dos radicais do PT

Parlamentares da base governista, liderados pelo deputado Ivan Valente (PT-SP) e pela senadora Heloísa Helena (PT-AL), lançaram hoje na Câmara a Frente Parlamentar em Defesa do Financiamento Público e da Soberania Nacional com críticas aos contratos do governo brasileiro com instituições financeiras internacionais, como o Fundo Monetário Internacional, Banco Mundial (Bird) e Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). No ato de lançamento, Ivan Valente aproveitou para acusar o FMI de adotar a tática da imposição de suas diretrizes ao Brasil. "A vice-diretora-gerente do FMI, Anne Krueger, disse que o governo brasileiro não pode reduzir o superávit primário. Isso é uma ingerência nos assuntos internos", condenou. O movimento é apoiado majoritariamente por deputados do PT. No manifesto anunciando a formação da frente, 21 deputados do PT subscreveram o documento, entres os petistas radicais Luciana Genro (RS), ameaçada de expulsão do partido, e Lindberg Farias (RJ). Também aderiram à frente, que tem o objetivo de propor uma legislação para fortalecer o papel do Congresso no processo de autorização dos financiamentos, os deputados Luiza Erundina (PSB-SP), Jovino Cândido (PV-SP), Leonardo Mattos (PV-MG), e do PSDB Raquel Teixeira (GO) e Yeda Crusius (SP).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.