Contrato da Embraer com a FAB é de US$ 400 milhões

É de US$ 400 milhões o contrato assinado entre a Embraer e a Força Aérea Brasileira (FAB) para o fornecimento de 76 modelos ALX - Aeronave Leve de Ataque -, com opção de compra para mais 23 unidades. A compra faz parte do programa do Ministério da Aeronáutica de fortalecimento de controle e defesa do espaço aéreo brasileiro. O ALX é um turboélice derivado do Super-Tucano e esse contrato estava sendo negociado havia dois anos.O ALX é um monomotor turboélice de última geração que pode ser aplicado em múltiplas missões, incluindo as de segurança interna, antiguerrilha, apoio operacional e treinamento básico-avançado. A aeronave possui um sistema de navegação e ataque de última geração.A compra faz parte do pacote de modernização da FAB, que inclui também a compra de caças supersônicos. O Tucano é um moderno avião militar que está em uso desde 1983 na FAB, que o utiliza para treinamento básico-avançado de seus pilotos. A versão modernizada e mais bem equipada de eletrônica e armamentos chamada Super-Tucano participou de uma concorrência nos EUA.O ALX é uma atualização dessa versão, feita com base em requisitos da FAB e será utilizado na Amazônia para combater guerrilha, tráfico de drogas e outras missões de segurança interna.O setor de aeronaves militares da Embraer acredita que, após a venda para a FAB, a aeronave deverá despertar atenção de outros países que já operam o Tucano, que foi líder de vendas de sua categoria na década de 80, com mais de 600 unidades entregues.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.