Contra setores do PT, petistas ligados a Dilma elogiam Temer

Para Pimentel, tese de que setores do PT seriam contrários à Temer é 'opinião pessoal' de Dirceu

Clarissa Oliveira, enviada especial

29 de janeiro de 2010 | 16h50

Em meio à articulação de setores do PT para barrar a indicação do presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer (PMDB-SP), como candidato a vice-presidente numa eventual chapa com Dilma Rousseff, auxiliares diretos da ministra-chefe da Casa Civil empenharam-se nesta sexta-feira, 29, em afagá-lo.

 

Veja Também

link'Gostaria que me escolhessem sucessora de Lula', diz Dilma

 

Membro da coordenação da campanha de Dilma e um dos principais aliados da chefe da Casa Civil, o ex-prefeito de Belo Horizonte Fernando Pimentel (PT) foi o primeiro a elogiar Temer, num esforço para aparar as arestas na relação com a cúpula peemedebista. "Isso é uma especulação. Não há nada contra o Temer. A Dilma tem uma consideração enorme por ele", afirmou Pimentel.

 

De acordo com ele, a tese de que setores da cúpula petista seriam contrários à indicação de Temer nasceu de uma "opinião pessoal" manifestada pelo ex-deputado José Dirceu (PT-SP) em encontro da ala majoritária do PT, em São Roque, a 54 quilômetros de São Paulo, no fim de semana.

 

"Mas isso não tem nada a ver com a pré-campanha da ministra nem com a opinião do presidente Lula", continuou. Pimentel disse que a opinião pessoal dele é a de que o presidente da Câmara dos Deputados é o melhor nome para a vaga. "Ele é o presidente da legenda e é o presidente da Câmara. Quem mais poderia representar tanto o partido quanto ele?"

 

Padilha

 

Em tom mais ameno, o ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, disse que ainda é cedo para iniciar esse debate. Ainda assim, Padilha elogiou Temer: "A minha avaliação é a de que a recondução do presidente Michel Temer como presidente do PMDB tanto para a condução da base aliada do governo quanto para a aliança da Dilma é a melhor notícia que a gente pode ter. O presidente Temer tem um papel fundamental em unificar o PMDB, trazer o PMDB para a base do governo, e é este setor do partido que defende a aliança em torno da ministra Dilma."

 

Ele ponderou, entretanto, que o momento é de discutir as alianças nos Estados e não de debater a indicação do candidato a vice. Na quinta-feira, o ministro e Dilma almoçaram com dirigentes do PDT. Hoje, Padilha planeja um encontro com deputados do PC do B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.