Contra Arruda, manifestantes enfrentam a polícia no DF

estadao.com.br,

09 Dezembro 2009 | 15h01

Tropa de choque da Polícia Militar age contra manifestantes em frente ao Palácio do Buriti

 

BRASÍLIA - Manifestantes que protestavam pelo impeachment do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (DEM), enfrentaram nesta quarta-feira, 9, a Polícia Militar na praça do Palácio dos Buritis, sede do governo distrital, em Brasília.

 

Veja também:

linkExpulsão do DEM será decidida por voto secreto

linkDesocupação da Câmara do DF foi 'sucesso absoluto', diz PM

lista Veja tudo o que foi publicado sobre o mensalão do DEM

 

Cerca de 1.500 pessoas, entre estudantes, militantes de partidos de oposição e sindicalistas protestavam em frente ao Buriti quando a ação policial começou. O enfrentamento acontece um dia após a retirada dos estudantes que ocupavam a Câmara Legislativa do DF desde a última quarta-feira, 2.

 

Cerca de 2.500 manifestantes participaram dos protestos, segundo a Polícia Militar

 

Durante o confronto e os policiais chegaram a atirar bombas de efeito moral e balas de borracha nos manifestantes, que haviam bloqueado as pistas do Eixo Monumental, uma das principais vias da capital. Os policiais expulsaram os manifestantes da via pública, que foi, então, bloqueada por eles.

 

Segundo o Movimento contra a Corrupção, que participou do protesto, o objetivo era mobilizar a população do Distrito Federal e exigir a cassação do governador José Roberto Arruda, acusado de participar de um esquema de pagamento de propina e desvio de verbas públicas desvendado pela Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal.

 

Durante a manifestação, o movimento também colheu assinaturas para encaminhar pedidos de impeachment do governador e do vice-governador Paulo Octávio e pedir punição para todos os parlamentares e colaboradores acusados de envolvimento no esquema.

 

O presidente em exercício da Câmara Legislativa do DF, Cabo Patrício (PT), disse que a pressão pelo afastamento dos envolvidos vai continuar, apesar de o bloco aliado ao governo estar se movimentando para evitar esse desfecho.

 

"Nos próximos dias, ainda veremos muitas articulações", afirmou o deputado. De acordo com ele, muitos parlamentares que sustentavam a defesa do governo estão deixando essa posição. "O importante é que no final seja votado o pedido de impeachment do governador Arruda".

 

Estudantes contrários ao governador enfrentaram a polícia em frente a sede do governo distrital

 

Os estudantes, que ocuparam durante seis dias o plenário da Câmara Legislativa, reafirmaram o compromisso de continuar nas ruas protestando contra o atual cenário político no Distrito Federal. "Percebemos que é preciso sair de um ambiente fechado [Câmara Legislativa] e mostrar nossa força enquanto movimento. Tivemos uma vitória dentro de uma guerra", disse Gabriel Santos, estudante de ciência política da Universidade de Brasília (UnB).

 

Para sábado, 12, está prevista uma carreata, que partirá às 9h, do Estádio Mané Garrincha, com destino à residência oficial do governador, em Águas Claras.

 

Com informações da Agência Brasil

Mais conteúdo sobre:
mensalao DFPMArrudaDEM

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.