Conto pede 48 horas para decidir se preside CPI dos cartões

Senador do PMDB diz que reação negativa da oposição é um 'incentivo e desafio' para aceitar função

Rosa Costa, de O Estado de S.Paulo

12 de fevereiro de 2008 | 16h22

O senador Neuto de Conto (PMDB-SC) disse nesta terça-feira, 12, que pediu 48 horas para dizer se aceita ou não o convite do líder do PMDB Valdir Raupp (PT) para presidir a CPI dos cartões corporativos. O prazo termina nesta quarta. Ele alegou que a tarefa exigirá dedicação exclusiva mas disse que o fato da oposição ter reagido mal à escolha de seu nome não é motivo para rejeitar o cargo. "Isso não me preocupa. Até me incentiva, é mais um desafio", afirmou.   Veja também:   Entenda a crise dos cartões corporativos  Governo indica aliados para postos da CPI dos cartões PSDB diz que não vai investigar família de Lula  Após denúncia, governo publica mudanças para cartões   Conto disse que, pelo que tem lido na imprensa, o uso dos cartões de crédito merece realmente ser investigado. "Acho que os cartões foram criados para facilitar o pagamento de despesas administrativas em nome do governo, mas pelo que estamos vendo pela imprensa estão sendo usados de forma indevida, principalmente em relação ao saque de dinheiro na boca do Caixa", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
CPI dos cartõescartões corporativos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.