Contestada tradução de 'satanás' feita por Feliciano

Satanás em hebraico se escreve "Satan" e significa diabo ou demônio. Professores do idioma ouvidos pelo Grupo Estado discordam da tradução feita pelo presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias, o deputado e pastor Marco Feliciano (PSC-SP), segundo a qual a palavra "satanás" significaria "adversário" na linguagem litúrgica do judaísmo que costuma ser usada em sinagogas.

AE, Agência Estado

03 Abril 2013 | 08h01

Após afirmar, em um culto em Minas na sexta-feira passada, que a comissão era "dominada por satanás", o pastor explicou em sua conta no Twitter que a sua intenção era falar que o colegiado era dominado por "adversários". Essa é uma explicação que pode ser encontrada na enciclopédia digital Wikipédia, no verbete "satanás", mas, segundo a assessoria do deputado, não foi de lá que Feliciano tirou essa informação.

"O pastor é um homem muito culto, fez várias faculdades de Teologia e tem conhecimentos de hebraico e grego", afirmou Wellington de Oliveira, responsável pela assessoria política do deputado. Oliveira fez questão de informar que Feliciano já leu a Bíblia mais de 50 vezes, "de capa a capa" e tem "muitos" livros escritos sobre o assunto.

Interpretação

"Satan significa diabo, demônio", explica Cecília Ben David, coordenadora de Educação do Centro da Cultura Judaica. Formada em Letras pela Universidade de São Paulo (USP) e com especializações feitas em Israel, a professora afirma que a declaração de Feliciano se baseia numa interpretação e não na tradução literal da palavra. "Ele deve estar interpretando de acordo com alguma Bíblia que tem uma tradução errada ou de acordo com o pensamento dele", afirmou ela, ao contar que é muito comum encontrar erros de tradução em bíblias, principalmente por desconhecimento por parte do tradutor. Ao longo dos séculos, os textos bíblicos têm sido traduzidos, do hebraico ou do grego, para dezenas de línguas.

Segundo Cecília, as palavras para "adversário" em hebraico são "oiev", "mitnagued" ou "iariv". Professora de hebraico há mais de 40 anos, Zahava Shapiro, que nasceu em Tel-Aviv e hoje mora em Brasília, também afirma que a palavra "Satan" significa diabo ou demônio, e que outros significados dependem da interpretação de cada pessoa.

A declaração de Feliciano sobre satanás causou mal-estar na Câmara e em seu próprio partido. A vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos, deputada Antônia Lúcia (PSC-AC), ameaçou deixar o colegiado. Correligionária do pastor, ela desistiu de renunciar a pedido da sigla. Feliciano chegou a lhe telefonar para pedir desculpas pelo ocorrido. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
Felicianosatanástradução

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.