Contaminação faz lotes de silicone serem interditados

A Vigilância Sanitária determinou a proibição do uso e da venda de três lotes de próteses de silicone da marca Silimed em todo o Brasil. Nove mulheres de Campinas e uma de Jundiaí, que implantaram as próteses nos seios, tiveram complicações como dores e secreções após as cirurgias. As próteses são produzidas noRio de Janeiro. Os lotes interditados são os de números 1689652, 1673780, 1644902.Segundo biólogos da Vigilância Sanitária, em sete dos casos houve contaminação das próteses pela bactéria Mycobacterium fortuitum, que pode causar doenças na pele e nos pulmões e normalmente é encontrada no solo. A hipótese mais provável é a de que a contaminação ocorreu por más condições de armazenagem ou manuseio incorreto do produto. A proibição de venda e uso inclui ainda outros materiais produzidos pela Silimed, como medidores de implante.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.