Contagem tem duelo clássico entre PT e PSDB

Cidade a 20 km de Belo Horizonte não reprisa aliança polêmica das legendas

Eduardo Kattah, BELO HORIZONTE, O Estadao de S.Paulo

17 de outubro de 2008 | 00h00

Enquanto em Belo Horizonte a polêmica aliança entre o governador Aécio Neves (PSDB) e o prefeito Fernando Pimentel (PT) corre o risco de naufragar nas urnas, a apenas 20 quilômetros petistas e tucanos travam uma clássica disputa, onde os dois mais bem avaliados líderes políticos do Estado estão em campos opostos. O segundo turno da eleição em Contagem, entre a prefeita Marília Campos (PT) e o deputado estadual Ademir Lucas (PSDB), não guarda nenhuma semelhança com a disputa na capital mineira. O candidato tucano - que já foi prefeito de Contagem duas vezes (1988 e 2000) - tenta voltar ao posto exibindo ostensivo apoio de Aécio. Já a petista concorre à reeleição com o apoio das legendas que dão sustentação ao governo Luiz Inácio Lula da Silva. Depoimento gravado pelo presidente já foi usado no horário eleitoral de Marília. Segunda ela, sua campanha recebe hoje o apoio da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, que é aguardada na cidade. No primeiro turno, Marília contou com Patrus Ananias (Desenvolvimento Social) e Luiz Dulci (Secretaria-Geral da Presidência), opositores do acordo entre Aécio e Pimentel. Na próxima semana será a vez de Tarso Genro (Justiça) gravar para o programa da petista. "Nossa coligação é de dez partidos. Aqui a base do governo Lula está unida", observou ontem Marília.Lucas procura "colar" no governador como principal tática da campanha. Aécio apareceu ontem abraçado ao candidato e tomou quase todo o tempo do programa eleitoral gratuito. O candidato do PSDB já foi assessor especial do governador, que colecionou derrotas em importantes cidades pólos do Estado. "Venho aqui não apenas trazer meu apoio protocolar ao amigo Ademir, venho trazer meu entusiasmado apoio a um dos melhores administradores deste Estado", declarou Aécio.Ao que tudo indica, o segundo turno em Contagem - com 608,6 mil habitantes - deve ser acirrado. No primeiro turno, a prefeita obteve 43,87% dos votos. Lucas teve 37,39%. Cidade industrial, Contagem conta com forte base sindical, mas por muitos anos foi reduto do PMDB de Newton Cardoso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.