Consumo residencial cai 12% na área da Cemig

O consumo de energia residencial na área de concessão da Cemig caiu 12% na semana passada em relação à retrasada, afirmou hoje (25) o assessor de relações com investidores da empresa, Luiz Fernando Rolla. "Os clientes residenciais deram um a resposta mais rápida", disse, em teleconferência realizada pela Agência Estado em parceria com a Wittel.Para Rolla, o governo federal deveria reconhecer que a sobretaxa para os consumidores que excederem o consumo é um reajuste tarifário. "Não há outra alternativa senão reconhecer a sobretaxa como tarifa", acredita. Rolla afirmou que a cobrança poderá cobrir os custos decorrentes do programa de racionamento e as perdas que as empresas sofrerão com a aplicação do programa.A empresa fechou o primeiro trimestre com prejuízo de R$ 12,5 milhões, ante um lucro de R$ 82,3 milhões no mesmo período de 2000. "O câmbio teve um efeito perverso em nossos resultados", afirmou. As perdas com a desvalorização somaram R$ 230 milhões. Sem esse impacto, contou o executivo, a empresa teria lucro superior ao registrado no mesmo período do ano passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.