Consumir soja melhora sintomas da menopausa

Grãos de saúde, os da soja. Podem prevenir doenças, pois contêm substâncias (os fitoestrógenos) capazes de proporcionar às mulheres uma menopausa mais saudável. Não se trata de tomar cápsulas compradas em farmácias, mas de se alimentar com soja. "A saúde da mulher está nos alimentos, não nas cápsulas", afirma a professora titular de nutrição Jocelem Mastrodi Salgado, da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo (Esalq-USP). Enquanto é garantido haver fitoestrógenos ativos nos grãos de soja, o mesmo não se pode garantir sobre as cápsulas. A professora aposentada Rebeca de Angelis, do Instituto de Ciências Biomédicas da USP, explica que existem duas classes de fitoestrógenos: uns têm efeito protetor e outros não. Nem sempre as cápsulas são feitas com os fitoestrógenos certos. O mais estudado deles e vendido em cápsulas são as isoflavonas. Segundo esclarece Jocelem, os efeitos dos fitoestrógenos são diferentes quando isolados da soja. "A proteína de soja tem papel importante no mecanismo protetor proporcionado pelos fitoestrógenos." Por isso, o alimento é melhor do que as cápsulas. As evidências sobre os efeitos dos fitoestrógenos na saúde feminina são resultado de estudos com populações asiáticas. A soja é a base da alimentação de mulheres orientais. Elas chegam a consumir de 170 a 200 gramas de soja por dia. Pesquisas mostraram haver menor incidência de sintomas na menopausa, doenças cardiovasculares, câncer de mama e osteoporose nessas mulheres. Para tirar proveito das propriedades preventivas dos vegetais, a dica é ter o hábito de comê-los em variedade, sempre. "O segredo é comer um pouco de tudo, sempre reduzindo a ingestão de gorduras", diz Rebeca.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.