Consulta sobre coligações preocupa líderes

Líderes partidário do Senado, entre eles o presidente da Casa, Ramez Tebet (PMDB-MT), estiveram hoje com o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Nelson Jobim, para pedir que não haja alteração nas regras para a formação de coligações nas eleições deste ano. O ministro Nelson Jobim não quis se manifestar sobre o encontro, mas os políticos saíram do encontro se dizendo "apreensivos". O pedido foi feito porque o TSE deverá decidir em breve uma consulta de quatro deputados do PDT, sobre a possibilidade de os partidos promoverem nos Estados alianças diferentes daquelas firmadas na campanha para presidente da República. Os partidos temem que o TSE defina a ?verticalização? das alianças, obrigando a manutenção da composição federal nos Estados.Os líderes partidários agora vão pedir ao líder do PDT na Câmara, deputado Miro Teixeira (RJ), que retire a consulta sobre a legalidade de os partidos políticos não seguirem, nos Estados, a mesma coligação feita para as eleições presidenciais. "Mostramos ao ministro nossa apreensão e pedimos que sejam adotadas as mesmas regras e práticas das eleições de 1998. Se o TSE julgar procedente a consulta, vai ser um caos político", afirmou o presidente do Senado, Ramez Tebet (PMDB-MS), que dise ter saído ainda mais preocupado da reunião com Jobim do que quando entrou. O líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL), iniciou as conversas com lideranças a fim de pressionar Miro Teixeira a desistir da consulta. Tebet ficou de conversar, também, com o presidente da Câmara, Aécio Neves (PSDB-MG). "Isso vai ser devastador", disse Renan Calheiros, também afirmando ter ficado ainda mais apreensivo depois da conversa com Jobim. Segundo informações colhidas pelos políticos, a decisão do TSE poderá ser unânime e, para evitar isso, a única saída seria a retirada da consulta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.