Gabriela Bilo/Estadão
Gabriela Bilo/Estadão

Construtoras e ex-presidente negam reuniões

Lula rebate informações de que teria recebido executivos para tratar das investigações da Operação Lava Jato

Andreza Matais e Débora Bergamasco, O Estado de S.Paulo

20 de fevereiro de 2015 | 02h03

BRASÍLIA - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva negou que tenha se encontrado com executivos das empreiteiras OAS, Odebrecht e UTC/Constran para tratar da Operação Lava Jato. "Muitas pessoas, de diversos setores, procuram o ex-presidente Lula, que hoje não possui nenhum cargo público", disse a assessoria do instituto, ao negar que o petista tenha recebido empreiteiros ou que eles pediram as reuniões.

A assessoria da UTC/Constran negou o encontro relatado em entrevista por Paulo Okamotto. "Nenhum executivo da empresa jamais marcou reunião ou manteve encontro com o presidente Lula ou com o senhor Paulo Okamotto para tratar de assuntos relativos à Operação Lava Jato."

Procurada para confirmar o encontro entre os executivos Marcelo Odebrecht e César Mata Pires, dono da OAS, a Odebrecht afirmou que "os acionistas e executivos da Odebrecht e da OAS tiveram não apenas um, mas vários encontros antes e depois das diversas etapas das investigações sobre a Petrobrás. O que é absolutamente normal, já que as duas empresas fazem parte de consórcios em comum, inclusive como investidoras, como é o caso da construção do Estaleiro Enseada e da Arena Fonte Nova, ambos na Bahia". A empresa disse que nesses encontros "foram discutidos temas operacionais e societários", mas negou que as reuniões "tiveram como pauta as investigações sobre a Petrobrás em si, embora consequências das mesmas sobre a operação de empreendimentos em comum tenham sido abordadas".

A assessoria da construtora OAS "refuta veementemente" que tenham ocorrido encontros de seus executivos com funcionários da Odebrecht para tratar da investigação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.