Construção de rodovia entre MT e PA conta com investidores

Estão adiantadas as negociações entre o governo federal, os estados de Mato Grosso e Pará e investidores privados para definir a construção da rodovia BR-163, com mil quilômetros de extensão ligando a cidade de Guarantan do Norte (MT) ao Porto de Santarém (PA). A informação foi confirmada nesta sexta-feira pelo ministro dos Transportes, Anderson Adauto, e pelo secretário de Transportes do Mato Grosso, Luiz Antonio Pagot, que participam da inauguração de um terminal de cargas em Alto Araguaia com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva."Conversamos ontem com os governadores do Mato Grosso, Blairo Magi, e do Pará, Simão Jatene, para discutirmos os projetos. Os dois têm interesse em levar o projeto em frente", disse Adauto. A construção da rodovia envolverá duas etapas. A primeira ligará Guarantan do Norte a Itaiatuba (PA), com uma extensão de 768 km, e exigirá recursos de US$ 175 milhões. De acordo com Pagot, no projeto em análise pelos Ministérios do Transporte e da Integração Nacional será constituída uma Sociedade de Propósito Específico (SPE) formada por empresas de navegação rodo-fluvial, empresas do agronegócio (produtores e traders) e indústrias do pólo industrial de Manaus.Pagot explicou que o ingresso das indústrias amazonenses se justifica pelo fato de essas empresas estarem interessadas em exportar seus produtos via Porto de Santarém. Para isso, o transporte das mercadorias será feito de barcaça pelos rios Amazonas e Tapajós, de Manaus a Amazonas até Itaiatuba.De Itaiatuba até Santarém, o projeto seria o transporte rodoviário por 235 km de estrada, que deverá ser construída por um outro consórcio. "Nessa segunda etapa deverá ser adotado um Programa de Parceria Pública-Privada, em que investidores privados que serão usuários e beneficiários da rodovia serão os responsáveis pelo empreendimento", explicou Pagot.O ministro Anderson Adauto ressalvou, no entanto, que ainda será necessário acertar detalhes desse empreendimento entre os investidores e os governos federal e estadual. Além disso, ele disse que após receber a proposta de parceria e firmar um convênio com os governos estaduais para o processo de concessão, será aberta uma licitação pública para verificar se outros investidores não estão interessados em ingressar no empreendimento. "Tudo será acertado com os governadores", garantiu.O secretário matogrossensse Luiz Antonio Pagot explicou que, além de serem beneficiados com a possibilidade de ampliar suas exportações, o projeto em discussão garantirá aos investidores a cobrança de pedágio de caminhões, resultando em receita extra aos concessionários da BR-163.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.