Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

'Considero-me preso político', diz Genoino

Ex-presidente do PT divulga nota em que reafirma ser inocente e que não existem provas contra ele; Genoino aguarda em casa a decisão de Barbosa que pode expedir os mandados de prisão nesta sexta

Ricardo Chapola e Mateus Coutinho, O Estado de S. Paulo

15 de novembro de 2013 | 16h55

Condenado a 6 anos e 11 meses de prisão pela participação no esquema do mensalão, o ex-presidente do PT, José Genoino, divulgou uma nota oficial na tarde desta sexta-feira, 15, na qual reitera ser inocente e diz considerar-se um "preso político".

Genoino disse ainda ter sido condenado por que era presidente do PT na época do escândalo e afirma que não existem provas das acusações contra ele. "O empréstimo que avalizei foi registrado e quitado", diz a nota.

O ex-presidente do PT foi condenado por corrupção ativa e formação de quadrilha. A segunda condenação, contudo, está embargada e seu julgamento deve ser retomado em 2014, pois ele obteve 4 votos favoráveis a sua absolvição por este crime no Supremo.

Genoino está na sua casa, na zona oeste de São Paulo, aguardando a decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, que pode expedir os mandados de prisão de 16 condenados ainda nesta sexta.

Confira abaixo a íntegra da nota:

Com indignação, cumpro as decisões do STF e reitero que sou inocente, não tendo praticado nenhum crime. Fui condenado por que estava exercendo a Presidência do PT. Do que me acusam? Não existem provas.O empréstimo que avalizei foi registrado e quitado.

Fui condenado previamente em uma operação midiática inédita na história do Brasil. E me julgaram em um processo marcado por injustiças e desrespeito às regras do Estado Democrático de Direito.

Por tudo isso, considero-me preso político.

Aonde for e quando for, defenderei minha trajetória de luta permanente por um Brasil mais justo, democrático e soberano.

José Genoino

Tudo o que sabemos sobre:
mensalãoJosé Genoinoprisão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.