Conserto de estradas destruídas por chuvas será por licitação

O ministro dos Transportes, Anderson Adauto, determinou nesta sexta-feira que seja abertalicitação para recuperar pontos de estradas federais destruídos pelas chuvas. A licitação será feita assim que forem concluídas obras emergenciais para a reabertura das estradas ao tráfego.O trabalho emergencial será feito pelos Batalhões de Engenharia e Construção do Exército, quando houver um nas proximidades, e pelasempresas que já tenham contrato para a manutenção da rodovia.Quando não houver empresa com contrato para a área afetada, o Ministério deverá convidar a construtora mais próxima do local para fazer o restabelecimento do tráfego. Segundo a assessoria do Ministério, a novidade no processo é a realização da licitação em todas as situações que exijam restauração. Até então, quando havia empresa responsável pela manutenção da rodovia, automaticamente ela era encarregada darestauração, sem se submeter a licitação.As licitações para as obras nas demais estradas, não afetadas pelas chuvas, continuam suspensas desde o dia 4 de janeiro. Os trechos mais críticos, segundo a assessoria, estão em Minas Gerais e em Goiás. Na BR-116, próximo à cidade mineira de Caratinga, dois pontos foram interrompidos. Há uma erosão na BR-262, na cidade de Pequiá, na divisa de Minas Gerais com o Espírito Santo, onde o tráfego está sendo feito na metade da pista.Segundo a assessoria, neste último caso não há empresa contratada nem batalhão do Exército próximo da região. Ainda na BR-262, na cidade de Vargem Linda, próximo a João Monlevade, foi feito um atalho para desviar o tráfego. Na BR-153, a Belém-Brasília, próximo à cidade goiana de Jaraguá, o trânsito também foi desviado.Veja o índice de notícias sobre o Governo Lula-Os primeiros 100 dias e os ministérios

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.