Conselho Regional suspende registro de pediatra

O registro profissional do pediatra Eugênio Chipkevitch, de 47 anos, foi suspenso hoje cautelarmente pelo Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp). O médico foi preso na última quinta-feira sob acusação de abusar sexualmente de seus pacientes - crianças e adolescentes - em seu consultório no Brooklin, zona sul. Como o conselho não tem poderes para efetuar a suspensão, deve entrar com um pedido de liminar na segunda-feira, dia 25, para que a Justiça ampare a decisão. O Cremesp também resolveu instaurar processo administrativo para verificar a capacidade do médico em relação à profissão. Durante a investigação, com prazo máximo de dois meses, os peritos - psiquiatras de hospitais renomados, um deles a ser indicado pelo acusado - analisarão a sanidade mental de Chipkevitch. "Há suspeita de pedofilia", afirmou a presidente do conselho, Regina Parizi, que assistiu junto dos 35 conselheiros do Cremesp às imagens em que o médico molesta pacientes menores de idade. Segundo ela, a reação foi de raiva, tristeza e traição. "As fitas são contundentes, por isso (o processo) não deve demorar."Regina garantiu ter grande entendimento com a Justiça, o que ajudará acelerar a decisão. Se comprovado o problema mental, o médico terá seu registro interditado. Passará a comparecer anualmente ao Cremesp para análise e, se considerado reabilitado, pode voltar a medicar. Caso contrário, ele responderá por processo disciplinar que leva até seis meses para ser concluído. Neste caso, será julgado pelo conselho. As penas vão de advertência à cassação do registro profissional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.