Conselho recebeu 11 ações contra Sarney

No total, acusações já resultaram em 5 representações e 6 denúncias

Carol Pires, O Estadao de S.Paulo

30 de julho de 2009 | 00h00

O Conselho de Ética recebeu ao todo 11 ações contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). São cinco representações (duas do PSOL e três do PSDB) e seis denúncias (cinco do líder tucano Arthur Virgílio-AM e outra do pedetista Cristovam Buarque-DF). Nove destas ações já tinham sido apresentadas no início desta semana. As outras duas (uma de Virgílio e a outra de Cristovam) foram entregues ontem ao Conselho de Ética. Como algumas das representações contra Sarney tratam do mesmo tema, o presidente do conselho, Paulo Duque (PMDB-RJ), deve propor que sejam unificadas, segundo informação de um assessor do parlamentar. As representações que poderiam ser unificadas são quatro. Duas delas (uma do PSDB e outra do PSOL) pedem ao conselho que investigue a responsabilidade de Sarney na edição de atos secretos. As outras duas (também uma do PSDB e outra do PSOL) pedem a apuração sobre o envolvimento do senador no esquema de desvio de dinheiro de patrocínio cultural da Petrobrás pela Fundação José Sarney, no Maranhão. Das cinco representações recebidas pelo Conselho de Ética contra Sarney, apenas uma não seria vinculada. É a que trata do pedido de apuração do PSDB sobre suspeitas de favorecimento do presidente do Senado a seu neto José Adriano Cordeiro Sarney, cuja empresa operava crédito consignado a servidores da Casa. Duque tem a prerrogativa, como presidente do conselho, de arquivar sumariamente as representações e as denúncias contra Sarney. Ele mesmo já disse que faria isso. Mas ontem já corriam rumores de que não quer sofrer o desgaste sozinho. Ele deixaria a decisão para o plenário do conselho, que tem maioria folgada de senadores pró-Sarney, dez a cinco dos 15 titulares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.