Conselho Político critica política econômica

Terminou no Palácio do Planalto a reunião do Conselho Político, formado pelos presidentes dos partidos políticos aliados, que começou às 11h45. Os presidentes do PPS, Roberto Freire (PE), e do PT, José Genoino, relataram, após o encontro, que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva ressaltou para os participantes que as reuniões com presidentes de partidos da base aliada ajudam a dar coesão ao governo, porque, com mais informação, a unidade é maior. Segundo Freire e Genoino, Lula disse também que a política econômica já começou a dar frutos. Os dois contaram também que o ministro da Fazenda, Antonio Palocci, afirmou que não é possível fazer "mudanças bruscas" na política econômica. Palocci, segundo Freire, fez uma exposição sobre a evolução da economia e apresentou dados de superávit e do crescimento, observando que, no governo Lula, tanto a inflação quanto os juros caíram. Palocci destacou, entre os resultados positivos, a melhora na relação dívida-PIB, mesmo com a dívida ainda alta. Freire e Genoino relataram, ainda, que Lula e Palocci ouviram críticas dos presidentes dos partidos à política econômica do governo. O presidente do PPS contou que ele próprio afirmou, na reunião, que considera a política econômica equivocada, porque a prioridade são os números, e "em nenhum momento se discute a situação do povo". Para Freire, apesar da margem pequena de negociação para atender o setor social, essa é uma negociação que precisa ser feita. "Essa política não é e não pode ser considerada uma herança maldita. Até porque é continuidade da política de Fernando Henrique Cardoso, portanto deve ser uma herança bem-vinda". Freire afirmou que fez essa declaração na reunião e que disse também, no encontro, que não pode haver ´subalternidade´ em relação ao mercado, como existe hoje. "Tem que haver preocupação em relação às pessoas". Segundo o deputuado, o ministro Palocci, ao ouvir queixas, disse que está aberto a discutir com as bancadas a política econômica e que, quando os partidos tiverem sugestões, devem apresentar a ele, que as receberá. Já o presidente do PT relatou ter defendido, na reunião, a política econômica, afirmando que o que está sendo feito pelo governo é "o correto". "Nosso projeto é com responsabilidade e segurança, viabilizando aumento de emprego e renda", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.