Conselho Federal da OAB critica pontos da reforma

A Associação Brasileira dos Magistrados e Promotores Eleitorais (Abramppe), por meio do seu presidente, Márlon Reis, e o Conselho Federal da OAB, pelo seu coordenador de direito eleitoral, Marcus Vinícius Furtado Coelho, apontaram o que classificam de inconstitucionalidades no projeto de reforma eleitoral. A principal é a que diz respeito à internet, que, para as entidades, ataca a liberdade de expressão. Também sobraram críticas à impossibilidade de proibir candidatos com contas rejeitadas a participar do certame e às doações intermediadas pelos partidos. "Se instituíram os atos secretos", criticou Reis.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.