Conselho do Ministério Público prorroga trabalho da Lava Jato

Decisão estende por mais um ano o período de deslocamento de quatro integrantes do Ministério Público que não atuam originalmente na região mas que participam do grupo sediado

Beatriz Bulla e Talita Fernandes, O Estado de S. Paulo

01 de setembro de 2015 | 15h13

BRASÍLIA - O Conselho Superior do Ministério Público Federal, presidido pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, aprovou nesta terça-feira, 1, a prorrogação do prazo para que integrantes da Operação Lava Jato continuem deslocados para permanecer em Curitiba, sede das investigações.

A decisão estende por mais um ano o período de deslocamento de quatro integrantes do Ministério Público que não atuam originalmente na região mas que participam do grupo sediado em Curitiba (PR) que investiga o esquema de corrupção na Petrobrás. O Conselho também autorizou que a equipe seja reforçada com dois novos integrantes: os procuradores Laura Gonçalves Tessler e Julio Carlos Motta Noronha. Criada em abril de 2014, a Força Tarefa da Lava Jato no Paraná atua perante a Justiça Federal de Curitiba e é coordenada pelo procurador Deltan Dallagnol.

Ararath. Também foi autorizada a prorrogação, por mais 90 dias, dos trabalhos do grupo que investiga a Operação Ararath - responsável por apurar suposto esquema de lavagem de dinheiro e desvio de recursos públicos no Estado do Mato Grosso. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.