Conselho de Ética votará cassação de dono do castelo no dia 1°

Edmar Moreira é acusado de mau uso da verba indenizatória repassando dinheiro à sua empresa de segurança

Agência Brasil,

24 de junho de 2009 | 17h09

O presidente do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara, deputado José Carlos Araújo (PR-BA), marcou para o dia 1° de julho, às 13 horas, reunião do conselho para discussão e votação do parecer do deputado Nazareno Fonteles (PT-PI), que pede a cassação do deputado Edmar Moreira (sem partido-MG).

 

Veja Também:

especialPerfil: Quem é Edmar Moreira, dono do castelo

lista Todas as notícias sobre o caso Edmar Moreira

documento Fac-símile: 'Estado' publica matéria sobre o caso em 1993

 

O parecer do deputado Nazareno Fonteles foi apresentado ao conselho quarta-feira da semana passada mas, como houve pedido de vista coletivo, a votação foi adiada por duas sessões da Câmara. Como essas sessões já aconteceram, o presidente do colegiado definiu a data de 1° de julho (quarta-feira da próxima semana) para a votação.

 

Se o parecer do relator for aprovado, o processo seguirá para votação do plenário da Câmara. Para o deputado ser cassado e perder o mandato são necessários os votos favoráveis à cassação, em votação secreta, de, pelos menos, 257 dos 513 deputados. Se o parecer do relator for rejeitado no conselho, José Carlos Araújo nomeará um relator do voto vencedor que dará parecer pela absolvição do parlamentar mineiro. A votação no conselho é aberta.

 

Edmar Moreira é acusado de uso indevido da verba indenizatória a que cada deputado tem direito mensalmente, no valor de R$ 15 mil. De acordo com as denúncias, ele teria usado a verba para pagamento de serviços de segurança a empresa de sua propriedade e que os serviços não teriam sido prestados. Ao propor a cassação de Moreira, o relator afirmou que, nas investigações, ficou comprovado o uso indevido da verba indenizatória e que o deputado teria quebrado o decoro parlamentar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.