Conselho de Ética vota pedido de cassação de Pedro Corrêa

O Conselho de Ética vota nesta terça-feira o relatório do deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), que pede a cassação do presidente do PP, deputado Pedro Corrêa (PE), por quebra de decoro parlamentar. A expectativa para a votação é de que, depois de dois placares apertados, na semana passada, o pedido de cassação do mandato de Pedro Corrêa seja aprovada com margem maior de votos do que as de Roberto Brant (PFL-MG) e do professor Luizinho (PT-SP). A votação marcará a volta ao conselho do relator do tucano, depois de uma viagem de dez dias. Sampaio não viu as movimentações de seu partido, na semana passada, em defesa de Brant. A cassação do parlamentar mineiro dividiu o conselho ao meio e o presidente, Ricardo Izar (PTB-SP) foi obrigado a decidir o empate de 7 a 7 e deu a vitória à cassação recomendada pelo relator Nelson Trad (PMDB-MS). Para garantir mais um voto em favor de Brant, o PSDB escolheu o deputado Jutahy Junior (BA) para substituir Gustavo Fruet (PR), que renunciou, mas o parlamentar baiano ficou apenas uma hora como conselheiro. Depois de votar pela absolvição do pefelista, Jutahy abriu mão da vaga.No mesmo dia, o parecer pela cassação do mandato do deputado Professor Luizinho (PT-SP) por 9 votos a 5. "Tenho a expectativa de que, pelas conclusões objetivas do relator e por ele ser do PSDB, o conselho vai voltar ao hábito de acompanhar o relator por larga margem", diz o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ), um dos conselheiros que, na semana passada, alertou para o risco de um acordão entre os grandes partidos em defesa de alguns deputados processados. "Algumas votações vão ser apertadas. Ainda há um ambiente de tentar poupar alguns deputados", diz Chico Alencar. Hoje, a expectativa é de que votem pela absolvição de Pedro Corrêa os dois conselheiros do PP e a petista Ângela Guadagnin (SP), que tem votado sempre contra a cassação de mandato e defendido penas mais brandas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.