Antonio Augusto/Câmara dos Deputados
Antonio Augusto/Câmara dos Deputados

Conselho de Ética vai notificar Cunha amanhã do prosseguimento da ação por quebra de decoro

Assim que for notificado, o peemedebista terá um prazo de 10 dias úteis para apresentar sua defesa formal; funcionários do colegiado farão pelo menos três tentativas de informá-lo

Daiene Cardoso, O Estado de S.Paulo

15 de dezembro de 2015 | 17h39

O Conselho de Ética da Câmara dos Deputados vai tentar notificar amanhã, 16, o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), sobre a aprovação da admissibilidade do processo por quebra de decoro parlamentar. Os funcionários do colegiado farão pelo menos três tentativas de informá-lo.

Assim que o peemedebista for notificado, ele terá um prazo de 10 dias úteis para apresentar sua defesa formal ao Conselho de Ética. Até o momento, o presidente do colegiado, José Carlos Araújo (PSD-BA), vinha concedendo informalmente espaço para o advogado de Cunha, Marcelo Nobre, se pronunciar para evitar, segundo ele, reclamações de que o representado teve seu direito de defesa cerceado. Pelas regras do Conselho, na fase de discussão da admissibilidade, não cabe apresentação de defesa porque não há ainda debate sobre o mérito da representação.

Passada a entrega da defesa, o processo entrará em fase de instrução probatória. O relator Marcos Rogério (PDT-RO) terá 40 dias úteis para chamar testemunhas e reunir provas. O Conselho não tem poder de convocar testemunhas, como geralmente acontece nas Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs).

Finalizada a fase probatória, é contado mais 10 dias úteis para que o relator apresente seu parecer final. No caso de Cunha, Marcos Rogério poderá recomendar a perda do mandato parlamentar.

Tudo o que sabemos sobre:
Eduardo CunhaJosé Carlos Araújo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.