Conselho de Ética ouve testemunhas de defesa de João Magno

O Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara ouve hoje duas testemunhas de defesa no processo contra o deputado João Magno (PT-MG). Os depoimentos do ex-ministro Nilmário Miranda, que foi titular da Secretaria Especial de Direitos Humanos, e do bispo dom Lélis Lara, consultor jurídico-canônico da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), serão iniciados às 15 horas no plenário 10 da Câmara. João Magno já admitiu, em depoimento no conselho, que recebeu R$ 426 mil do Partido dos Trabalhadores por meio das agências de publicidade de Marcos Valério. A quantia, segundo o parlamentar, foi usada para pagar despesas de campanha, mas não foi declarada à Justiça Eleitoral no prazo exigido.O deputado alegou que o atraso na prestação de contas ocorreu porque o ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, protelou a entrega de documento para comprovar a origem do dinheiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.